Blog
Ufla Júnior

8 práticas para se tornar um executivo eficaz

30 de novembro de 2018 10:03

A eficácia na gestão é de extrema importância para o sucesso de uma organização, pois quando a gerência tem êxito, toda empresa também tem êxito. Segundo uma publicação feita pela revista americana Harvard Business Review, existem 8 práticas que todo executivo deve seguir para conseguir administrar com efetividade os negócios, sendo as duas primeiras para adquirir conhecimento, as quatro seguintes para transformar o conhecimento em ações e as duas últimas para garantir que a organização como um todo se sinta responsável pelo sucesso.

  1. Pergunte o que precisa ser feito

Indagar o que precisa ser feito é de suma importância para que o executivo eficaz tenha conhecimento da situação organizacional e a partir dessa informação consiga estabelecer prioridades e se ater a elas, colocando sua concentração em realizar a primeira e delegando as outras. Após concluída sua tarefa, o executivo restabelece o que é prioritário perguntando “O que deve ser feito agora?” de forma a rever o que foi feito e o que ainda é necessário fazer.

  1. Pergunte se isso é bom para empresa

Os interesses organizacionais devem prevalecer em detrimentos dos interesses pessoais, pois uma decisão que não seja boa para a empresa, consequentemente não será boa para nenhuma das partes nela interessada como a cúpula, o pessoal, os acionistas ou a cotação de ações, por exemplo. Tal pratica é de extrema importância principalmente para empresas familiares sobretudo com decisões relacionadas com os recursos humanos

  1. Crie um plano de ação

Um executivo é alguém que faz, que executa. Contudo, antes agir é necessário que se trace planos de execução, o qual é uma declaração de intenção. É necessário pensar sobre os resultados desejados, as limitações e os riscos, as possíveis modificações futuras e o tempo que será gasto. A primeira coisa a fazer é determinar os resultados desejados: o executivo deve se perguntar o que a empresa espera dele e de seu comprometimento com os resultados e em seguida, pondera os limites à ação. O plano de ação deve ser flexível e reavaliado com frequência, pois há sempre novos contextos e oportunidades de mercado pois todo sucesso abre novas oportunidades. Além de contar com um sistema de monitoramento contínuo das atividades e da gestão do tempo.  

  1. Assuma a responsabilidade pelas decisões

Ao colocar o plano em ação é necessário se atentar à tomada de decisões, à comunicação, às oportunidades e às reuniões. O executivo deve assumir a responsabilidade pelas decisões de forma que as pessoas saibam o nome da pessoa responsável por sua execução, o prazo, o nome daqueles que serão atingidos pela decisão e o nome daqueles que terão de ser informados da decisão, ainda que não sejam diretamente atingidos por ela.

  1. Assuma a responsabilidade pela comunicação

Segundo Chester Barnard em seu clássico de 1938, As Funções do Executivo, sabe-se que a argamassa de uma organização é a informação, e não a posse ou o comando, portanto um executivo eficaz deve-se certificar que todos entendam seu plano de ação, compartilhando-o com seus colegas, superiores, subordinados e pares. Além de comunicar a informação necessária para que cada um faça sua parte.

  1. Foque em oportunidades ao invés de problemas

Um bom executivo se concentra em oportunidades e não em problemas. É claro que é preciso lidar com problemas para prevenir os danos, no entanto, explorar as oportunidades produz resultados. O executivo eficaz trata a mudança como uma oportunidade, não como uma ameaça, de modo a fazer uma apreciação das alterações dentro e fora da empresa e se perguntando como explorar os pontos positivos de tal mudança.

  1. Faça reuniões produtivas

O executivo precisa garantir que toda reunião seja uma sessão de trabalho e não uma troca de ideias de modo a tornar esses encontros produtivos. Para que isso aconteça basta decidir previamente que tipo de reunião será e quais serão as pautas trabalhadas nela, além de ser encerrada assim que seu objetivo seja cumprido.

  1. Pense e diga “nós”

O executivo eficaz sabe de suas responsabilidades e que não pode delegá-las, contudo, o mesmo só tem autoridade porque conta com a confiança da organização, o que significa que deve pensar nas necessidades e oportunidades da desta antes das suas. Não é uma tarefa simples, mas precisa ser seguida à risca.

Compartilhe este artigo